À Mesa com …Filipa Gomes

    À Mesa com …Filipa Gomes

    “Gosto imenso de cozinhar pratos salgados, mas os doces, os doces têm magia…” – Filipa Gomes

    Nunca pensou que a cozinha fosse a sua zona de conforto, nem tão pouco o seu laboratório de trabalho. Detentora de uma energia contagiante, com uma simpatia genuína, Filipa Gomes é talvez um dos rostos mais conhecidos da culinária televisiva. “Prato do Dia” e “À Boleia da Filipa”, do canal 24 Kitchen, são dois programas que mostram a sua mestria, entre tachos e panelas.

    Filipa Gomes> Subscreva a newsletter da Teleculinária e tenha acesso a mais vídeos, passatempos e dicas úteis para facilitar as refeições do seu dia-a-dia.

    Gosta tanto de comer quanto de cozinhar, mas nem sempre foi assim. Nunca pensou na cozinha como espaço de trabalho. Foi aprendendo a cozinhar quando decidiu ir viver com o namorado. “Todos sabemos que a necessidade aguça o engenho e como tinha de cozinhar para nós dois, fui aprendendo umas coisas e desenvolvendo o gosto pela cozinha. Tudo isto aconteceu há cerca de 5 anos. Houve uma altura que saía do trabalho e ia para casa a pensar que cupcakes ia fazer. Rapidamente percebi que era isto que queria fazer. A minha área era outra totalmente diferente, estava em publicidade”.

    Os amigos iam descobrindo esta faceta da Filipa com prazer, um dia o namorado disse-lhe que estavam a fazer casting para apresentadora do programa “Prato do Dia”, do canal 24 Kitchen. “Nunca pensei nisso e achei que ele estava doido. Mas depois pensei melhor e pedimos a um amigo nosso para vir até lá a casa filmar uma receita e ver como ficava. Fizemos isso, enviamos o vídeo e fui chamada para o casting. Passei à segunda fase e pronto, aconteceu”, relembra Filipa, dando uma gargalhada sonora e contagiante.Filipa Gomes

    Desde o início desta aventura televisiva que procura estar informada e sentir-se segura do que está a fazer. Lê imenso sobre o assunto e faz pesquisa: ”Procuro saber a base das receitas. Se decido fazer macarrão, tento ter uma base de pesquisa, pois tenho que perceber como é que as coisas são feitas, mas depois é uma questão de instinto. Provamos uma coisa, pensamos logo se está boa, se lhe falta alguma coisa”. Quando lhe perguntamos de onde vem a inspiração, a resposta é imediata: “Da minha família, das coisas que comi em criança, das revistas, dos blogues. Tento que cada prato tenha um tema, depois sigo a inspiração. Se pensei em música, imagino um prato que combine com essa música”.

    Filipa GomesNos últimos tempos surgiu outro desafio, a quatro mãos. O programa “À Boleia da Filipa”, onde fez dupla com Filipa Vacondeus, foi uma experiência inesquecível e, se uma tem graça, as duas então… “O projecto das Filipas em terras de Portugal foi uma experiência incrível. É interessante juntarem duas gerações completamente distintas que não têm nada que ver uma com a outra. O que tem imensa graça são as nossas diferenças, diverti-me imenso com as manias da Filipa Vacondeus e ela com as minhas. E fizemos comida tradicional portuguesa. Foi muito bom aprender com uma mulher com a experiência da Filipa Vacondeus.”

    Quando lhe perguntámos para que lado pende o seu coração, doces ou salgados, não hesita: “gosto imenso de cozinhar pratos salgados, mas os doces, os doces têm magia…”


     

    Pannacotta de alfazema com calda de cereja do Fundão e Vinho do Porto

    Pannacotta de alfazema com calda de cereja do Fundão e Vinho do PortoIngredientes:

    PARA A PANNACOTTA

    2,5 dl de natas

    0,5 dl de leite

    4 colheres (sopa) rasas de açúcar

    1 colher (sopa) de flores de alfazema secas

    2 colheres (chá) rasas de gelatina em pó

    PARA A CALDA:

    200 g de cerejas do Fundão

    4 colheres (sopa) de Vinho do Porto

    2 colheres (sopa) de açúcar

    Hidrate a gelatina em água.*

    Numa panelinha ou num púcaro, junte as natas, o leite, o açúcar e a alfazema dentro de uma rede para fazer chá. Leve ao lume e vá mexendo até fervilhar.Pannacotta de alfazema com calda de cereja do Fundão e Vinho do Porto

    Quando o açúcar estiver derretido e as natas bem aromatizadas, desligue o lume, retire a rede de infusão com as flores de alfazema e junte a gelatina hidratada.

    Mexa até a gelatina dissolver e coloque em 4 ramekins ou taças de silicone e leve ao frigorífico durante 4 horas ou até estar firme.

    Entretanto faça a calda de cereja: descaroce as cerejas e coloque dentro do copo da varinha mágica com o vinho do Porto e o açúcar. Triture tudo e leve ao lume brando durante 10 minutos até formar uma calda.

    Desenforme** as panna cottas virando sobre um prato e sirva com a calda de cereja arrefecida.

    Legenda:

    * Quando tenho pressa, uso agar-agar em vez da gelatina comum. Nesse caso hidrato 2 colheres de chá de agar-agar em flocos ou 1 colher de chá de agar-agar em pó, em 2 dedos de água e levo uns segundos ao microondas. Junto logo às natas e deixo cozinhar até dissolver. Ao contrário da gelatina que perde o efeito quando é fervida, o agar-agar precisa de ferver para que faça efeito. Assim serão necessários uns 10-15 minutos ao lume, para os flocos dissolverem completamente.

    **Para ser mais fácil desenformar pode untar as formas com óleo vegetal.

     

    > Gostou deste artigo? Se tiver alguma sugestão não se esqueça de comentar. Subscreva a nossa newsletter aqui e tenha acesso a mais receitas, vídeos, passatempos e dicas úteis para facilitar as refeições do seu dia-a-dia.

    Não se esqueça de nos seguir no facebook.