Obstipação

    Obstipação

    Combate à prisão de ventre

    A prisão de ventre ou obstipação é um problema que afecta um grande número de pessoas e que pode estar relacionado com diversas causas tais como: estilo de vida sedentário, ansiedade, alimentação pobre em fibras, má hidratação e desregulação hormonal. Clinicamente considera-se o estado de obstipação quando se contabilizam menos de três dejecções semanais, caracterizando-se as fezes como duras, secas e escassas.

    Yogurt

    A adopção de uma alimentação diária rica em fibras (25-30 g para adultos e 5 g para crianças), a ingestão de seis a oito copos de água por dia e a prática de exercício físico regular costumam ser as indicações básicas para restabelecer o funcionamento do intestino.

    > Subscreva a newsletter da Teleculinária e tenha acesso a conteúdos de nutrição e bem-estar.

    No diário alimentar deverão ser incluídos todo o tipo de legumes; fruta, sobretudo os frutos secos (as ameixas secas) e toda a fruta que se possa comer com casca; sementes; cereais como o trigo ou a aveia, utilizando preferencialmente o seu farelo; e, claro, as leguminosas como feijão, grão, favas, etc., desde que colocadas de molho por mais de 8 horas e rejeitando a água da cozedura (causadora de flatulência). No entanto, para que a fibra funcione na perfeição há que completar-se com um consumo adequado de água, já que é esta que ajuda a formar o bolo fecal, auxiliando no trânsito das fezes pelo intestino. O consumo de alimentos probióticos, presentes naturalmente em diversos iogurtes, também ajudam a equilibrar a flora intestinal.

    > Uma das nossas receitas que pode ajudar.

    Por outro lado, existem alguns alimentos a evitar em situações de obstipação: cenoura cozida, arroz, chá preto, maçã cozida sem casca e banana. Para melhorar a mobilidade intestinal e a evacuação é muito importante procurar fazer exercício físico, especialmente abdominal. Desta forma reforçam-se os músculos da parede abdominal.

    Texto: Mónica Santo

    > Se tiver alguma sugestão não se esqueça de comentar. Subscreva a nossa newsletter aqui.