Gastronomia

Pastéis de Santa Clara (Custom)

A Gastronomia de Coimbra tem fundas raízes, sobretudo na área da doçaria, e é um óptimo motivo de viagem.
À mesa, Coimbra destaca-se mais na doçaria, uma tradição secular que se deve, em grande parte, à influência de importantes conventos.
E embora, a cidade de Coimbra não tenha um prato que a caracterize, nos restaurantes e tabernas podem degustar-se excelentes iguarias e petiscos e pratos típicos, como a chanfana ou o leitão assado à moda da Bairrada, uma zona limítrofe.

Mosteiro de Santa Clara-a-Velha à noite (Custom)Artesanato

A cerâmica é, desde longa data, a atividade artesanal que mais distingue Coimbra. São muito famosas as peças de faiança pintadas à mão, com castanhos, azuis esbatidos e roxos desbotados. Esta tradição desenvolveu-se nos séculos XVII e XVIII e, por essa altura, começou a ser exportada para Inglaterra. Apesar da crise que, nos últimos anos afetou o setor , os artesãos mantêm viva a tradição.

Semin‡rioFado

O estudante universitário, vestido de traje académico a rigor, tocando guitarra, é uma das imagens míticas de Coimbra. O fado, cantado e tocado, no meio estudantil, por vozes masculinas, é, de longa data, reconhecido como a canção de Coimbra. O turista pode ouvi-lo em algumas casas noturnas, situadas na zona histórica da cidade, ou nas serenatas das festas estudantis, em Maio ou Outubro/Novembro. Tem uma sonoridade diferente da do fado de Lisboa e as suas letras inspiram-se na vivência dos estudantes.

Universidade de CoimbraUniversidade de Coimbra

A Universidade de Coimbra, a cidade em que se insere, o riquíssimo património histórico, arquitetónico e cultural de que dispõe, são um precioso acervo comum da Humanidade,  reconhecido agora pela UNESCO, galardão que mais do que o reconhecimento do valor arquitetónico do complexo universitário de Coimbra, sublinha o valor universal da cultura e da língua portuguesas e reconhece o papel central que Portugal teve na formação do mundo. A classificação como património mundial reconhece ainda a ação central que a Universidade de Coimbra tem vindo a desempenhar na história da humanidade. A Biblioteca da Universidade foi considerada uma das mais bonitas do mundo.

Sé velha

O templo actual data da segunda metade do séc. XII, tendo sido aberto ao culto em 1184 e segue o estilo românico coimbrão da segunda fase. Com projecto do francês Mestre Roberto, a igreja tem um exterior robusto, simétrico, com escassas aberturas e coroamento de ameias. O portal central tem decoração de clara influência islâmica, enquanto que a porta lateral, dita “Porta Especiosa”, atribuída a João de Ruão, revela elegante decoração renascentista. No interior, ao longo das naves laterais distribui-se a galeria do trifório. Destaque especial para o retábulo da capela-mor, em gótico flamejante, datado de cerca de 1498 e executado pelos escultores flamengos Olivier de Gand e Jean d’Ypres. O retábulo da Capela do Santíssimo Sacramento, completado com uma elegante cúpula de cartelas, em estilo maneirista, data de 1566 e foi executado por João de Ruão. O claustro, gótico, iniciou-se em 1218, nele se destacando os capitéis naturalistas.

Todos os dias: 10h-18h,exceto 6ª: 10h-16h

Ponte de Pedro InêsPonte Pedro Inês (Custom)

Projectada pelos engenheiros Cecil Balmond e Adão da Fonseca, a ponte pedonal Pedro e Inês foi construída no âmbito do Programa Polis, para ligar as margens direita e esquerda do Rio Mondego e foi inaugurada a 26 de Novembro de 2006. A ponte tem 275 metros de comprimento, por quatro de largura, tendo a meio uma praça, com oito metros de largura. O passadiço é em madeira e as guardas do tabuleiro (grades de protecção) apresentam vidros de quatro cores diferentes: amarelo, azul, verde e rosa. A travessia foi já considerada como um ícone de arquitectura, tendo sido classificada por vários especialistas como um “arrojo em engenharia”, ao ser considerada uma “estrutura revolucionária, mas elegante”.

Mata Nacional do Choupal

Imortalizada pelos poemas e pelo fado de Coimbra, esta Mata é, desde há longos anos, um local de eleição para a realização das mais diversas actividades lúdicas e desportivas. Aqui é ainda possível admirar espécies vegetais como o choupo, o plátano, a nogueira-preta e o cedro dos pântanos.

Visitas guiadas sob a temática da rainha Santa Isabel – esta visita tem como intuito divulgar valores culturais e patrimoniais ligados à personalidade da padroeira da cidade, a Rainha Santa Isabel.

Inclui a visita ao Convento de Santa Clara-a-Nova (Igreja, Sacristia, Claustro e Coro-baixo), abordando os seguintes aspectos:
– Vida e obra da Rainha Santa Isabel;
– Breve apontamento histórico sobre as Ordens Mendicantes, em especial as de São Francisco e de Santa Clara e sua divulgação pelo mundo, nomeadamente em Coimbra;
– Pequena resenha histórico-artística do Convento de Santa Clara-a-Nova.Peridiocidade: quinzenal (5.ª, 15h)
Público-alvo: geral e escolas

 

 

 

Comentários