Ingrediente obrigatório em quase todas as saladas, a alface ganha mais importância quando o tempo quente aperta e os corpos precisam de se manter hidratados e em forma. É uma das primeiras verduras a introduzir na alimentação dos bebés devido às suas propriedades nutricionais.

O mercado já disponibiliza diversos tipos de alface que variam na cor, sabor, dimensão, tipo de folha e textura. É usada na alimentação humana desde o ano 500 a.C. e pensa-se que seja originária do leste do mediterrâneo. Os romanos antigos consumiam-na com frequência e as suas virtudes eram já bem conhecidas.Depositphotos_3927719_l-2015

Hoje em dia, é quase sempre consumida crua, embora também se possa usar em sopas, sobretudo nas dos bebés devido a ser uma verdura de fácil digestão. Para a sua cozedura bastam cerca de cinco minutos.

É rica em betacaroteno (provitamina A), vitamina C, E e do complexo B e minerais como o potássio e o magnésio. Possui um valor energético quase nulo e é bastante rica em água. Aumenta a sensação de saciedade numa refeição, ajudando a diminuir o apetite e a quantidade de alimentos ingeridos.

Comprar, guardar e usar

Na hora da compra, prefira as alfaces que possuem as folhas limpas, de cor brilhante e sem marcas ou picadas de insectos. Rejeite as de aspecto murcho, velho e amarelado.

Guarde-a no frigorífico, acondicionada num saco de plástico. Se possui folhas velhas, elimine-as antes de a armazenar no frigorífico para que não afectem a conservação da restante alface. Mantenha-a assim por cerca de 5 a 7 dias.

Para a preparar, basta separar as folhas, eliminar as partes velhas e colocar as boas num escorredor. Lave sob água corrente fria, deixe escorrer ao natural ou use um recipiente próprio para a escorrer. Depois é só cortar em pedaços pequenos ou em juliana. Contudo, evite utilizar facas na sua preparação, evitando assim que oxide.

Utilize como acompanhamento dos mais variados pratos, sobretudo daqueles que não possuem quaisquer legumes. A salada de alface pode ser complementada por fatias finas de tomate, cebola e pepino em meias-luas ou cenoura ralada. Mas a alface também pode ser incluída nas sanduíches e nas saladas consumidas como prato principal, pois combina com diversos ingredientes.

Na medicina popular, o chá das folhas ou talos da alface é usado como calmante do estômago e do sistema nervoso e já se mostrou eficaz contra insónias. O seu sumo também pode ser usado em loções e cremes para rejuvenescer a pele e acalmá-la de queimaduras solares.

A alface, assim como os espargos são ricos em ácido fólico. Todas as hortaliças de folha verde escura como os brócolos e os espinafres, são ricos nesta importante vitamina. É também reconhecido à alface efeitos calmantes e relaxantes.

Comentários