É consumida todo o ano de variadíssimas formas. Crua ou cozinhada, como condimento, ingrediente base ou principal, distingue-se pelo seu odor intenso e sabor forte e por vezes ácido ou ligeiramente picante.

 

História e características

  • Originária do continente asiático é da família Alliaceae e é plantada entre os meses de Setembro e Março, mas e está disponível para consumo durante quase todo o ano.
  • Existem inúmeras variedades de cebola que são distintas na cor, tamanho e forma. A branca, com sabor mais forte, a amarela e a roxa, a mais suave. A cebola nova, mais pequena e também conhecida por cebolinha, a redonda, mais forte e a oval. A cebola nova em particular é colhida precocemente e está disponível no mercado a partir de Abril/ Maio.

Conservação

  • Os bolbos devem ser colocados num local fresco e seco, de preferência escuro e bem ventilado.
  • É possível conservá-la no frigorífico e até no congelador. Descasque-a, pique-a e congele-a ou mantenha-a no frio – desde que bem acondicionada num recipiente fechado, pode durar 24 horas sem perder características.

É bom saber

  • Quando cortada, a cebola liberta um composto volátil à base de enxofre que em contacto com o ar provoca uma pequena irritação nos olhos e é por isso que “faz chorar”.
  • Mantê-la no frigorífico ou a baixas temperaturas e mergulhá-la em água, por exemplo, diminui a produção destes compostos e a agressão aos olhos.
  • Para eliminar o cheiro da cebola das mãos pode utilizar limão ou lavá-las em água corrente, deslizando-as, em simultâneo, pela parte de metal da faca.

Valor nutricional

  • Pouco calórica. Cada 100 g apresenta entre 30 a 40 kcal, dependendo do tipo de cebola.
  • Rica em flavonóides, que lhe confere propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias.
  • Fonte de sódio, cálcio, potássio, ferro e fósforo, além das vitaminas C e do complexo B.

Comentários